A Viagem de Comboio Mais Longa do Mundo

A viagem de comboio mais longa do mundo começa em Portugal e termina no Vietname do Sul. Os 17.000 km de distância percorridos demoram cerca de 275 horas (o equivalente a 12 dias) e custam por volta de 1500 dólares.

A viagem começa no Porto e é inteiramente feita de comboio, com exceção de uma paragem em
Paris, necessária para apanhar o metro na Gare Montparnasse até à estação do Norte. Os dois primeiros dias de viagem são relativamente simples, já que os países por onde se passa pertencem à União Europeia e todos eles, exceto a 150826090416-8-trans-siberian-super-169Polónia, são cobertos pela Eurail, um consórcio de operadoras que colabora na venda de bilhetes.

Apesar de esta circunstância garantir alguma coordenação e de um passe Eurail dar acesso a grande parte da rota, podem existir taxas suplementares de viagem e de reserva, que se aplicam à maioria dos comboios de alta velocidade e aos comboios de dormida.

Partindo do Porto, os viajantes seguem num comboio que percorre a costa atlântica até Coimbra. Depois de uma hora de paragem, toma-se a direção leste, atravessando Portugal em baixa velocidade, antes de se chegar ao Noroeste de Espanha, via Salamanca, Valladolid e Vitoria-Gasteiz. Chegados a França, os passageiros são transferidos para o TGV, para uma viagem de seis horas até Paris, onde, como mencionámos, é necessário trocar de estação. Na estação do Norte, a partida é em direção a Colónia, com paragem em Bruxelas, Liège e Aachen. O tempo de viagem de Colónia, atravessando a Alemanha e a Polónia até Varsóvia, é de 10 horas.

Na Polónia, os viajantes têm a opção de atravessar a Bielorrússia ou os Países Bálticos, prosseguindo para a Rússia. Convém planear o seu dia em Moscovo, pois existe uma espera demorada até embarcar no comboio que o levará quase até ao Oceano Pacífico. Em Moscovo, faz-se um transbordo para o lendário Comboio Trans-siberiano.

Em Beijing, começa a parte final da viagem pela Eurásia, com destino ao Vietname do Sul, bastante agradável após cruzar as fronteiras deste país, devido à reconstrução do sistema ferroviário depois da Guerra do Vietname.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *